Ações de Destaque

Cidadania Corporativa: A gestão da ética nas empresas PDF Imprimir
Artigos - Responsabilidade Social
Escrito por Maurício França Fabião   
Qui, 01 de Maio de 2008 00:00

A importância de pensar a cidadania nos nossos dias


A cidadania é o conjunto de direitos e deveres sociais de um indivíduo em relação à coletividade. Em um mundo cada vez mais violento e desigual, estabelecer quais são as regras de convivência em sociedade é de suma importância para estabelecermos uma nova noção de justiça e igualdade, que garanta um mínimo de bem estar para todos.


A cidadania corporativa é um conceito que define um alto padrão de conduta ética da corporação em relação aos dois principais públicos de qualquer organização: funcionários e comunidade. A sua importância está no fato de que o respeito aos direitos humanos, tanto dos funcionários quanto da comunidade, é um forte fator de sucesso para as empresas.


Outro aspecto importante da cidadania corporativa é o compromisso de valorizar a diversidade. Em um país com extrema desigualdade social, uma empresa que valoriza a diversidade, combate a discriminação de todos os tipos, tem uma política de salários iguais para cargos iguais e tem um código de ética está contribuindo para um país melhor.


Como planejar um programa de cidadania na empresa


Para planejar um programa de cidadania corporativa, é interessante estabelecer um espaço institucional para os funcionários exporem as suas propostas em reuniões periódicas. Nessas reuniões, as ações de cidadania corporativa podem ser planejadas com a ferramenta do marketing social, buscando atender as demandas por cidadania, dentro e fora da empresa.


A Souza Cruz SA fez, em 2000, uma campanha interna de marketing social intitulada “Campanha Natal Solidário”. A estratégia foi: (1) estabelecer como preço a doação de um quilo; (2) definir como produto alimentos não-perecíveis; (3) definir como praça o refeitório coletivo da empresa na hora do almoço; e (4) usar como promoção da campanha a divulgação pela intranet da empresa e por comunicado interno. Com isso, criou-se um grupo de voluntários de vários departamentos, que continuaram beneficiando a comunidade.


O caso da Shell é um exemplo de estímulo ao voluntariado. Ela cede voluntários para a Associação Junior Achievement: uma ONG que promove programas de empreendedorismo em escolas. O sucesso desta parceria levou a Shell a criar o programa “Iniciativa Jovem”, onde faz a incubação de empresas juvenis, especialmente de comunidades pobres.


As vantagens de se implantar um programa de cidadania na empresa


A primeira vantagem é a melhora do clima de trabalho, pois quando o funcionário sente que os seus direitos estão sendo respeitados, ele tem mais prazer em trabalhar e cria-se um clima de cooperação interna que estimula a criatividade de todos. Isso leva a uma segunda vantagem, que é o fortalecimento da imagem da organização na sociedade, pois é comprovado por pesquisas que os consumidores previlegiam empresas éticas que respeitam os seus funcionários além do exigido pela lei. Por conta disso, uma terceira vantagem da cidadania corporativa é o seu fator de atração e retenção de talentos.


Uma quarta vantagem é o aumento da automotivação dos funcionários, pois eles se vêm como cidadãos quando beneficiam a comunidade externa de forma voluntária. Uma quinta vantagem, decorrente do voluntariado, é o estímulo à pró-atividade solidária dos funcionários através da prática do empreendedorismo social, pois este fortalece o espírito de equipe e estimula a solidariedade para com os colegas. Quando o funcionário se torna um empreendedor social, ele vira referência de cidadão corporativo competente, se tornando um líder que agrega seus colegas em prol de um ambiente de trabalho melhor e de resultados.


Recomendações para o sucesso de um programa de cidadania na empresa


A recomendação mais importante é ouvir os funcionários e a comunidade. Estabelecer uma relação de diálogo é fundamental para que esses dois públicos sintam que os seus direitos humanos estão sendo respeitados e desejem contribuir para com o sucesso da corporação.


Outra recomendação é estimular o voluntariado, pois este pode gerar um clima de solidariedade interna na corporação que não é possível de ser criado a partir de qualquer treinamento. Quando o funcionário se entende enquanto cidadão, os seus olhos passam a brilhar, o sorriso sai mais fácil, a integração é fluída, o trabalho em equipe vira um prazer e o respeito mútuo se torna uma rotina.


O grande impacto da cidadania corporativa é tornar os funcionários em cidadãos que se engajam no alcance dos resultados institucionais, não só porque vão melhorar a sua imagem e sim porque acreditam que a nossa vida pode ser melhor se cada um fizer a sua parte.



* Maurício França Fabião é consultor e coordenador de projetos sociais pelo Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (CIEDS); bacharel, professor e mestrando em Ciências Sociais (Programa de Pós-Graduação/UERJ); vencedor do Prêmio Ethos Valor – 2ª edição/2002 (Instituto Ethos e Jornal Valor Econômico).

 

Artigos relacionados